Review: Teen Wolf 5x20 - "Apotheosis" [SEASON FINALE]

Olá leitores, este aqui é mais um resumo com as principais partes do capítulo desta semana de Teen Wolf este sendo o último da temporada, episódio 20. Atenção não leia o texto a seguir caso não queira saber nenhum spoiler sobre o capítulo!

Vou começar falando que tudo me pareceu muito apressado. Numa tentativa de desenvolver a grande quantidade de personagens da série, foram criadas várias tramas paralelas (o romance Hayden/Liam, Loba do deserto, Kira e seu descontrole) e isso acabou por ser um fardo grande na season finale, que teve a responsabilidade de finalizar tudo. O produto final não foi nem de longe ruim, mas poderia ter sido bem melhor se tivesse mais foco à trama principal.

Uma das resoluções das tramas paralelas que lavou minha alma foi a estória da loba do deserto. Finalmente isso foi resolvido. Eu já não aguentava mais todo mundo falando dela como se fosse a mais badass da série, sendo que, na verdade, ela só tem metade dos poderes de um werecoyote e usa umas armas. Nada que qualquer um dos vilões de temporadas anteriores não possa enfrentar.

A revelação de que o líder dos Dread Doctors, o Cirurgião, era ninguém menos que Marcel me pareceu desnecessária e irrelevante, ainda mais pela falta de exposição e motivação que esses vilões tiveram essa temporada. Isso tudo com o objetivo de gerar um plot twist, o que não aconteceu, pois, por mais que tenha sido inesperada, foi totalmente descabida essa descoberta.

Já o que me agradou no episódio, por mais que tenha sido efetuado de forma apressada, foi a resolução das tramas, principalmente por ser algo que deixou uma enorme curiosidade pelas surpresas da próxima temporada. Fiquei curioso principalmente com a Malia, que agora tem todos os poderes de uma Werecoyote. Será que podemos esperar alguma mudança na personalidade dela, da mesma forma que o Derek sofreu, na segunda temporada? Só o tempo dirá, mas que esse encerramento todo foi bacana, ah, isso foi. Outra coisa que me chamou atenção foi a Kira, que agora está com as Skinwalkers. Acho que na próxima temporada teremos alguns problemas por conta disso, já que elas se mostraram pouco clementes durante essa temporada.

Ah, e não posso deixar de falar do Theo. Ah, Theo. Por quantos episódios nós, os fãs, tivemos que aguentar aquele metidozinho duas-caras traindo todo mundo e sendo um babaca sempre, hein? Pois é… Mas a justiça só tarda, ela não falha. Acho que todos nós ficamos de alma lavada com o tanto que ele sofreu nesse episódio. Traído, derrotado, teve o pescoço quebrado, carregado pela irmã (num momento claramente alusivo a “o chamado”). Vimos Theo cair repetidas vezes. E depois de tudo que ele fez, nada mais justo do que ter um final tão dramático e punitivo, o que me lembrou do Peter, em temporadas anteriores, sendo jogado em Eichen House, bem próximo do Dr. Valack.

Mas o que me chamou a atenção acima de tudo foi que a volta da Crystal Reed, como Marie-Jeanne, não foi merofanservice. Realmente tinha uma motivação para Allison ser idêntica à sua antepassada, algo que, por si só, já valeu pelo episódio inteiro. Será que teremos a volta da queridinha do fandom na próxima temporada? Eu particularmente espero que sim. A morte da personagem foi tão impactante, mas necessária para que o romance do Scott com Kira florescesse. Além do mais, em Teen Wolf, os personagens têm a mania de nunca ficarem mortos por muito tempo.

Sobre a trilha sonora, ela foi simplesmente fantástica. A música final foi perfeitamente encaixada com um momento muito interessante na vida dos personagens: eles não sabem se ficarão juntos para sempre, mas ainda assim continuam unidos, ali, porque esperam o melhor. Sem contar que a cena final de todo mundo na biblioteca foi remanescente dos momentos em que Scott e seu bando ficavam na cafeteria, momentos esses de que sinto falta. Bateu a nostalgia ali.

Ao todo, foi um encerramento digno para uma temporada que teve seus altos e baixos. Considerando a quantidade de plots que foram iniciados ao longo da season, não me estranhou que o episódio final tivesse sido onerado com uma pressa para finalizar tudo (algo que me deixou sem fôlego, mas não pelo episódio em si, e sim pela pressa). Fica registrada a minha ansiedade por uma sexta temporada melhor, com menos absurdos (o que eu acho que não vai se concretizar, devido o lobisomem nazista da segunda guerra mundial, que provavelmente será o vilão). Posso estar sendo saudosista, mas realmente acho que a série era melhor no começo. Ao longo das temporadas, os autores começaram a levar o universo da série à sério demais, e aquele ar de série adolescente recheada de drama e com alguns momentos sobrenaturais passou a pesar, ser apenas sobre o universo místico, e não seus personagens.

E eu não poderia terminar essa review sem falar da quantidade absurda de sofrimento pela qual a Lydia passou essa temporada. Alguém pode, por favor, dar a ela o prêmio de sofredora do ano? Por um momento, quando a garganta dela foi cortada, pensei “Poxa, ela vai ficar muda agora. Ah, mas pelo menos ela não vai mais gritar tanto”. Coitada. Estou no aguardo para que temporada que vem ela possa brilhar mais e sofrer menos. Pareceu até o Stiles na temporada do Nogitsune.

Fonte: Mix de Séries  por: Roger Olly

Postar um comentário